Papelada

Entrei para a receção e claro, como não podia deixar de ser, pediram-me o meu Cartão de Cidadão e claro, como também não podia deixar de ser, começaram a preencher um formulário com a razão pela qual eu estava ali.

Pouco depois chamaram-me pelo meu primeiro e último nome e mandaram-me entrar para um gabinete cuja porta de madeira estava tão deteriorada que me fazia perguntar de há quanto tempo eram aquelas instalações. No pequeno gabinete haviam no mínimo três estantes que abarrotavam com dossiers, dossiers verdes, dossiers amarelos, todos eles a abarrotar de papelada e o pó em cima deles era visível sem o mínimo esforço. Na parede, certificado de aptidões profissional, certificados atrás de certificados, mas a prática era tão pouca que o único barulho naquela sala era a de amontoarem pastas com papelada à procura de, imaginem vocês, formulários.

Burocracia, papelada, dificuldades, entraves, conveniências, afinal é disso que se baseia o meu país, o país em que eu tento todos os dias ter orgulho, em que eu tento acreditar que os meus direitos e a minha integridade física está totalmente protegida, Portugal, é de ti que falamos hoje.

“Temos que ser inovadores”, “Temos que ser melhores”, “Temos que ter qualificações”, “Temos que… Bem… Temos que…”, nós temos que tudo, mas e o país? Não terá ele que nos ajudar a inovar, a sermos mais qualificados e a sermos melhores tanto profissionalmente como pessoalmente? Ao ouvirmos tais discursos ditos de pulmões em brasa acerca da mudança, até decidimos iniciar um novo projeto, quando pensamos que vamos iniciar um novo percurso, aparecem os interesses, os entraves, as conveniências!

“A proposta até é boa sabe… mas é que...” , “Parece-me um projeto inovador, mas sabe o que é…” , “É uma boa ideia, mas …” Mas… Mas...

“Mas… Olhe! Preencha aqui estes papeis que eu faço de os entregar á minha colega”, e de colega passa para colega e de colega para colega e de repente o ânimo desaparece e se calhar já passaram anos e a mesma ideia foi executada e com bastante sucesso noutra região, se calhar na Suíça ou na França ou até mesmo numa região diferente de Portugal.

Bem, mas ao menos, pense positivo, já preencheu mais uma papelada para ser colocada num dossier.

Escrito por: Carolina Gonçalves